Ansiedade, boa ou ruim?

Ansiedade é considerada uma emoção, que em uma situação entendida como tensa ou de risco funciona como alerta. É algo muitas vezes difícil de lidar, que atrapalha o desempenho e se não buscar auxilio de início, pode inclusive trazer prejuízos maiores.

Provavelmente tudo isso já é de conhecimento e tudo que for dito aqui nesse sentido, serão informações importantes, mas que reforçam a ideia da negatividade da ansiedade. Então há outra questão relevante. E o lado bom da ansiedade? Pra que serve a ansiedade?

A ansiedade trata-se de uma resposta fisiológica do corpo, logo se é natural, não pode ser entendida somente como algo ruim, mas como essencial em alguns momentos. Ou seja, a ansiedade tem papel relevante para o enfrentamento de situações possibilitando respostas imediatas para um bom desempenho. Ela é fundamental para que consiga avaliar, fazer previsões, planejar, agir, podendo ajudar e muito, pois permite ter foco e concentração em determinadas situações, percebendo o problema de modo mais nítido.

O ansioso pode sim imaginar coisas muito negativas, dando errado e impossíveis às vezes. Mas também pode facilitar os planejamentos futuros, os novos passos que pretende dar e inclusive, pensar em um plano B.

A pouca ansiedade pode levar a uma preparação inadequada ou insuficiente para obter resultados satisfatórios, ou até mesmo um comportamento negligente. Por outro lado, a ansiedade sentida em excesso pode gerar paralisação e descontrole, comprometendo a performance. Normalmente isto acontece quando há um exagero na avaliação em relação aos riscos que envolvem a situação e a diminuição na própria capacidade em exercer algo. A negação do sentimento, também pode levar a um excesso de ansiedade sentida, por se achar na necessidade de se sentir calmo entrando em conflito com os próprios sentimentos.

Ter discernimento e aceitação dos seus sentimentos é algo fundamental, pois qualquer situação desafiadora haverá sim, certo grau de ansiedade. Sabendo lidar, ela ajudará a ficar mais alerta e novas ideias e oportunidades surgirão. Do contrário, pode haver interrupção, paralisação, sendo necessário reavaliar.

Kathlen Mendes
Psicóloga Clínica e Gestal-terapeuta