Como é um depressivo?

A depressão trata-se de um transtorno de humor que vem crescendo muito nos últimos anos, porém, infelizmente não recebe a devida atenção pelos que sofrem e pela sociedade diante da sua gravidade. Fraqueza ainda é a palavra associada à depressão, com a falsa ideia de que só tem depressão quem é fraco para lidar com as próprias questões. Ao longo da vida, 20% são as chances de uma pessoa desenvolver depressão. As mulheres por sua vez, tem mais propensão a terem depressão do que os homens.

Quando uma pessoa está deprimida, pensando em grau moderado a grave, muitas alterações acontecem com ela, tanto no nível comportamental quanto mental, as ideias e pensamentos ligam no botão automático da negatividade. O mundo se torna cinzento, triste, sem esperança e sem perspectivas. Não há um olhar adiante, mas um passado que condena, que persegue, fazendo com que o futuro se acabe.

O modo de se relacionar é uma das primeiras alterações que ocorre. A vontade de sair, de participar de rodas de amigos, de interagir diminuem significativamente. Não há mais interesse no outro, desde as rodas informas para papear e beber, até o ato sexual, pois a libido diminui consideravelmente.

Embora a pessoa possa ter uma vida boa financeiramente, com estrutura familiar, emprego, nada disso faz diferença diante de um quadro depressivo. Tudo se apaga neste período, o passado de realizações e conquista se perdem, ficando adormecido e o que se tem é uma motivação escassa, uma paralisação e medo. O que antes era alegria passa a ser sentido com dor, tristeza, sem prazer algum.

Difícil ainda é lidar com o próprio julgamento. Sentimentos de culpa, vergonha aparecem diante da auto avaliação das escolhas, ações, comportamentos que fez um dia. Nada faz sentido, a autoimagem negativa se torna como única e verdadeira. O que um dia a fez ter um sentimento ruim, agora isso se intensifica.

Incompreensão é um sentimento comum para quem está com depressão, ninguém parece compreender as suas angustias, dores, ou se importar. A pessoa sente-se distante dos demais, vivendo isolada fisicamente e emocionalmente. Não é sentido no corpo, mas na alma, emocionalmente está fragmentada.
Nesses casos, as pessoas próximas devem demonstrar afeto, acolhimento e auxiliar a pessoa deprimida a compreender que ela está em um estado depressivo, que não é algo natural e precisa de ajuda. Não cabe discutir ou dizer que ela deve sair e enfrentar, pois trata-se de uma patologia, não é preguiça. Procurar ajuda especializada é o indicado, e muitas vezes com a intervenção medicamentosa, para auxiliar no reestabelecimento emocional.

Para que haja um tratamento adequado é necessário envolvimento por parte de quem sofre com a doença, que se dedique ao tratamento e aprenda a lidar com os pensamentos e comportamentos. Não há modos mágicos ou que tenham 100% de eficácia no tratamento de todos que sofrem com essa doença.

Kathlen Mendes